BTS pede desculpas pelo uso de peças com foto de bomba atômica e símbolo nazista

Grupo de k-pop se envolveu em polêmica após fotos antigas ressurgirem na internet

por Lena Grossman | Traduzido Por Miriam Kaibara | 14 nov, 2018 13:03Tags
BTS, 2018 Billboard Music Awards, ArrivalsJohn Shearer/Getty Images for dcp

O BTS, que levou 4 prêmios no E! People's Choice Awards, se envolveu em polêmica. Fotos antigas de membros do grupo usando camiseta com foto da bomba atômica e boné com símbolo nazista ressurgiram na internet.

Uma das imagens foi divulgada no Reddit e denunciada pelo The Simon Wiesenthal Center. A foto mostra um integrante usando um boné de estampa camuflada com a águia imperial, conhecida como Reichsadler, e o símbolo da suástica.

O rabino Abraham Cooper, que é o diretor da Ação Social Global no Centro Wiesenthal, disse no comunicado da organização: "É evidente dizer que este grupo, que foi convidado para falar na ONU, deve ao povo do Japão e às vítimas do nazismo um pedido de desculpas".

Além da polêmica com o sinal da suástica, outra imagem que surgiu na web na semana passada, mostra Jimin usando uma camiseta com foto da explosão da bomba atômica em Nagasaki. O grupo iria se apresentar no Japão, mas o show foi repentinamente cancelado.

leia também
BTS agradece aos fãs por prêmio no E! People's Choice Awards 2018

A empresa de gerenciamento do BTS, a Big Hit Entertainment, divulgou uma declaração no Facebook sobre as fotos e explicou sua posição sobre as roupas usadas pelos membros. O texto diz que a empresa "não apóia nenhuma organização ou grupo orientado para o extremismo político e crenças totalitárias, incluindo o nazismo, é contra todas essas entidades e atividades, não tinha intenção de causar sofrimento ou dor a ninguém afetado por eventos históricos".

A declaração ainda fala que o simbolismo não "era intencional" e "nós gostaríamos de oferecer nossas sinceras desculpas por inadvertidamente infligir dor e aflição a qualquer um afetado por regimes totalitários no passado, ao não revisar rigorosamente as roupas e acessórios que nossos membros usaram, bem como para qualquer um que tenha sofrido angústia e desconforto ao testemunhar uma associação de nossos artistas com imagens que lembram o extremismo político".

Kevin Winter/Getty Images

Sobre a foto da bomba atômica, a Big Hit declarou: "A Big Hit não tolera quaisquer atividades de guerra ou o uso de armas atômicas, é inflexível contra elas, não tem intenção de causar sofrimento ou dor a ninguém afetado por armas atômicas, e vamos continuar a aderir a esses princípios".

Eles acrescentaram: "Gostaríamos de oferecer sinceras desculpas não apenas por não tomarmos as precauções que poderiam ter impedido o uso de tais roupas pelos nossos artistas que, inadvertidamente, infligiram dor a qualquer um afetado pelo uso de armas atômicas, mas a qualquer um que pode ter experimentado angústia e desconforto ao testemunhar a associação de nossos artistas com imagens relacionadas aos bombardeios atômicos".

"Gostaríamos de novamente oferecer nossas mais sinceras desculpas a qualquer um que tenha sofrido dor, angústia e desconforto devido a nossas deficiências e supervisão para garantir que essas questões recebam nossa atenção mais cuidadosa", concluíram.

Além da polêmica das roupas, o BTS também foi acusado de erguer bandeiras em show que também se assemelhavam à bandeira nazista. O rabino Cooper disse em sua declaração: "Está claro que aqueles que planejam e promovem a carreira deste grupo estão muito confortáveis em denegrir a memória do passado. O resultado é que as jovens gerações na Coréia e em todo o mundo são mais propensas a identificar o fanatismo e intolerância como sendo 'legal' e ajudar a apagar as lições da história".

Criador de Celebridades: Toda quinta-feira, a partir as 20h. Só no E!