Cara Delevingne, Vogue

VOGUE/Patrick Demarchelier

Saiba o que rolou!

A revista Vogue se envolveu em uma polêmica com a matéria de capa em que Cara Delevingne assume pela primeira vez o relacionamento com a cantora St. Vincent. De acordo com ativistas de grupos LGBTs, a publicação do mês de julho usou o termo "fase" para denominar a bissexualidade de Cara, o que foi considerado uma falta de respeito e, por isso, estão exigindo um pedido formal de desculpas.

MICHELLE RODRIGUEZ FALA SOBRE NAMORO DE CARA DELEVINGNE E ST. VINCENT

Cara abriu o jogo sobre seu relacionamento com St. Vincente e, pela primeira vez, falou sobre seu relacionamento com mulheres. "O fato de estar apaixonada por minha namorada é a razão pela qual ando tão feliz ultimamente. E é quase um milagre que essas palavras saiam da minha boca", declarou ela à publicação. A atriz de Cidades de Papel ainda contou que foi uma longa jornada até compreender e aceitar sua sexualidade. "Levei um longo tempo para aceitar a ideia, até que me apaixonei por uma garota de 20 e reconheci que tinha de aceitar", acrescentou.

CARA DELEVINGNE DIVULGA PRÉVIA DO TRAILER DE CIDADES DE PAPEL

Cara Delevingne, Vogue

VOGUE/Patrick Demarchelier

No entanto, líderes de grupos LGBT se ofenderam com a maneira como a matéria foi escrita. "Seus pais parecem pensar que as meninas são apenas uma fase para Cara, e eles podem estar corretos", diz a publicação. Na entrevista, Cara ainda descreve seus sonhos eróticos (protagonizados exclusivamente por homens), o relacionamento conturbado com sua mãe e o medo de se apaixonar por um homem. O repórter fez um trecho de análise. "Quando sugiro para Cara confiar em um homem, ela pode ter que rever uma ideia antiga e teimosa dela - de que as mulheres são perenemente problemáticas e, portanto, só as mulheres vão aceitá-la - ela sorri e diz que admite o ponto", escreveu o jornalista Rob Haskell.

CARA DELEVINGNE ASSUME RELACIONAMENTO COM ST. VINCENT E SE DIZ BISSEXUAL

Foi então que Julie Rodriguez criou uma petição para que a editora-chefe da Vogue, Anna Wintour, pedisse desculpa pela maneira como a bissexualidade foi tratada. A petição já conta com mais de 13 mil assinaturas de apoio. Rodriguez afirma que a linguagem e a análise de Haskell é uma banalização e um perigo, pois acabam reforçando estereótipos sobre as mulheres. "A ideia de que as mulheres bissexuais apenas formam relacionamentos com outras mulheres como resultado de trauma de infância, é um estereótipo nocivo (e falso) de que as mulheres lésbicas e bissexuais têm combatido por décadas", explicouu Rodriguez na descrição de sua petição. A revista Vogue ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Cara Delevingne, St. Vincent

MachettePix/startraksphoto.com

  • Share
  • Tweet
  • Share

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.