Prince Harry

John Stillwell - Pool/Getty Images

Confira os melhores momentos da entrevista

Depois de se tornar o protagonista de um grande escândalo, em que foi fotografado pelado durante uma festinha em seu quarto de hotel em Las Vegas, o Príncipe Harry foi enviado à sua segunda missão no Afeganistã, que deve terminar ainda este mês.

Desde então, o ruivo real se manteve longe dos holofotes, exceto pela notícia de que estaria sendo ameaçado pelo Taleban, grupo fundamentalista islâmico.

Em entrevista à BBC britânica, o príncipe, que é co-piloto Apache, fez uma série de revelações, como por exemplo como lida com suas missões, e ainda falou sobre o grande escândalo das fotos e sobre se tornar titio.

Quando perguntado se havia matado alguém durante a missão, Harry respondeu: "Sim, assim como muitas pessoas. O esquadrão fica atento. Todo mundo tem que atirar. Se há pessoas tentando fazer coisas ruins com os nossos caras, então temos que tirá-las do jogo. Nós atiramos quando temos que atirar, tiramos uma vida para salvar outra, mas essencialmente nós somos mais um impedimento do que qualquer outra coisa".

"Nosso trabalho aqui é garantir a segurança de quem está no chão. Agora se isso significa atirar em alguém que está atirando neles, então é o que faremos", continuou ele.

Sobre a ameaça de ataque do Taleban, o príncipe contou que foi levado para um local seguro, já que estava no meio do Afeganistão. "Obviamente, os papeis em casa diziam ‘isso tudo é contra ele'. Ninguém sabe direito ainda. Mas de qualquer jeito, o campo é no meio do Afeganistão e era esperado que fosse atacado em algum momento... Aconteceu no meu aniversário, então foi como voltar a realidade", declarou ele.

Harry também comentou o fato de seu irmão, o Príncipe William, trabalhar como piloto de resgate da Força Aérea Real enquanto ele é enviado em missões no exterior.

"Obviamente ele adoraria estar lá fora, e honestamente eu não vejo porque ele não poderia. Ninguém saberia que era ele na cabine de piloto. Sim, ele seria baleado, mas se os caras que estão fazendo o mesmo trabalho que nós estão sendo baleados, não vejo problema em sermos baleados também. As pessoas têm problemas com isso, mas não somos especiais, quem está lá é que é. É simples assim", declarou o príncipe.

Prince William, Duke of Cambridge, Catherine, Duchess of Cambridge, Prince Harry, Kate Middleton

John Stillwell - WPA Pool/Getty Images

Deixando de falar sobre o trabalho, Harry comentou seu último grande escândalo, que aconteceu em agosto do ano passado, definindo-o como um exemplo clássico de ele sendo "muito militar e não tão príncipe".

"Provavelmente me decepcionei, decepcionei minha família e outras pessoas. Mas no final eu estava em uma área privada e deveria ter tido alguma privacidade", continuou ele.

"Você tem que ser capaz de virar a chave o tempo todo. Acho que já disse isso há um tempo, mas existem três ‘eus'. Um no exército, um social – meu momento privado – e um com a família e coisas do tipo. Gosto de pensar que é equilibrado. O exército vem antes, afinal é o meu trabalho", explicou Harry.

E por falar em família, o príncipe revelou que não vê a hora de se tornar tio e que está muito feliz pelo irmão e por Kate Middleton.

"Obviamente estou muito feliz por eles. Já era hora! Mal posso esperar para ser tio! Eu falei com meu irmão e com ela, e eles estão muito bem e muito felizes. Acho que é injusto que eles tenham que tornar isso público, mas assim é a mídia", declarou ele.

  • Share
  • Tweet
  • Share

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.