Amy Winehouse, Mitch Winehouse, 2008 Grammy Awards

Peter Macdiarmid/Getty Images for NARAS

Legista do caso seria inexperiente e inquérito será refeito

Amy Winehouse, que foi encontrada morta em sua casa devido a uma intoxicação alcoolica, em julho do ano passado, pode não ter morrido pelo motivo declarado na época.

 De acordo com as autoridades que defendem a reabertura do caso, a médica responsável pelo exame de conclusão da causa-morte da cantora não tinha experiência necessária para exercer o cargo. Suzanne Greenaway teria sido nomeada em 2009 graças ao marido, Dr. Andrew Scott Reid. Sendo assim, quando cuidou do caso de Amy, ela só tinha dois anos de experiência, ou seja, três a menos do exigido por lei.

 

Siga o E! Online Brasil no Twitter e acompanhe as notícias mais quentes das celebridades

A nova audiência para reabrir o processo está marcada para o próximo dia 8. "A família está feliz pela maneira como a investigação está sendo conduzida e não pediu um novo exame. Isso é um procedimento padrão e não esperam que o veredito mude", disse a família Winehouse ao jornal The Guardian.

 

  • Share
  • Tweet
  • Share

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.