John Galliano

AP Photo/Thibault Camus

Designer pede US$ 15 milhões

O polêmico estilista, que se tornou diretor criativo da Dior em 1996 e acabou sendo demitido em março deste ano, entrou com uma ação reivindicativa contra a grife de luxo no tribunal francês Paris Conseil des Prud'hommes pedindo U$ 15 milhões de indenização. Uma audiência foi marcada para o dia 04 de fevereiro de 2013, de acordo com o jornal The Telegraph.

John Galliano foi demitido depois se ser acusado de fazer um discurso antissemita em um bar de Paris durante uma bebedeira. Ele logo culpou seus vícios em drogas e álcool pelo terrível incidente.

Sidney Toledano, presidente da maison e CEO, disse na época: "Eu condeno com a maior firmeza as declarações feitas por John Galliano, que são totalmente contradições aos valores essenciais que sempre foram defendidos pela Casa Christian Dior".

O designer britânico, de 51 anos, também foi recentemente excluído do prestigioso prêmio francês Legion d'Honneur por causa de sua condenação nazista. No entanto, ele foi presenteado com o prêmio no Palácio do Eliseu em 2010 e manteve o título ao lado de outros grandes nomes da moda, como Yves Saint Laurent, Marc Jacobs e Azzedine Alaïa.

Desde o ocorrido, Galliano tem aparecido pouco em público e passou uma temporada internado em uma clínica de reabilitação nos Estados Unidos.

  • Share
  • Tweet
  • Share

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.