Ricky Martin

John Parra/Getty Images

Desde que afirmou ser homossexual há dois anos, Ricky Martin se posicionou como uma das estrelas mais engajadas na defesa dos direitos dos gays. E, por isso, não se calou depois das declarações polêmicas de Charles Worley, um pastor batista, que propunha acabar com "todas as lésbicas e gays em um campo cercado com cercas elétricas".

Alguém precisa ter uma lição com Barack Obama...

"O reverendo Charles Worley é uma alma vazia que difunde sua mensagem de ódio em nome de seu Deus. Estupidez", respondeu o artista em seu Twitter.

De seu altar na igreja de Maiden, na Carolina do norte, o reverendo lançou na semana passada um incendiário discurso contra o casamento de pessoas do mesmo sexo, e criticou a atitude do presidente norte-americano, que se declarou a favor dos direitos gays.

Worley não hesitou em chamar Obama de um "assassino de bebês e amante dos homossexuais", enquanto dizia que eram pecados que o davam "vontade de vomitar".

Não é a toa que os depoimentos do pastor deixaram Martin enfurecido.

 

  • Share
  • Tweet
  • Share

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.