CEO da Fundação de Kate e William anuncia saída após acusação contra Meghan

Jason Knauf, que trabalhou com o casal por anos, anunciou nesta quarta-feira, 12, que deixará seu cargo na Fundação Real no final de dezembro.

por Elyse Dupre | Traduzido Por Miriam Kaibara | 12 mai, 2021 18:41Tags
Recomendado para você: CEO da Fundação de Kate e William anuncia saída após acusação contra Meghan

Príncipe William e Kate Middleton, que celebraram 10 anos de casamento, terão uma mudança em sua equipe neste ano. O chefe executivo da Fundação Real de Kate e William, Jason Knauf anunciou nesta quarta-feira, 12, que deixará seu cargo em dezembro. 

Segundo comunicado à imprensa, "uma relocação internacional planejada exigiu sua decisão de se retirar". A busca por alguém para o cargo começará nas "próximas semanas" e o sucessor de Kanuf "será anunciado em seu devido tempo".

Jason começou a trabalhar com o Duque e a Duquesa de Cambridge em fevereiro de 2015, quando ele foi contratado como o Secretário de Comunicações no Palácio de Kensington. Em 2019, ele conduziu uma revisão do papel e da estrutura da Fundação Real, que apoia o trabalho filantrópico de William e Kate, e se tornou CEO mais tarde no mesmo ano, supervisionando o lançamento do The Earthshot Prize, a resposta da Fundação à pandemia do coronavírus e o trabalho de Kate no apoio aos primeiros anos das crianças.

leia também
Príncipe William e Kate Middleton celebram 10 anos de casamento com vídeo raro dos filhos

"Trabalhar com o Duque e a Duquesa de Cambridge foi o privilégio da minha carreira", afirmou Knauf no comunicado. "Sempre serei grato pela oportunidade que tive de apoiar sua liderança no Reino Unido e internacionalmente. Os próximos meses serão os mais cheios na história da Fundação com os primeiros prêmios do The Earthshot Prize e mais progresso em nosso trabalho com a primeira infância. Temos muito o que fazer com nossa equipe incrível e todos os nossos parceiros".

ADRIAN DENNIS/AFP via Getty Images)

William e Kate também disseram que Knauf tem sido "parte integrante" de sua equipe nos últimos anos. "Somos imensamente gratos por seu trabalho árduo e comprometimento, tanto na Fundação Real quanto anteriormente como nosso secretário de comunicações", continuou o casal.

"Desde que assumiu como CEO, Jason impulsionou mudanças positivas, tornando nossa visão para nosso trabalho de caridade e as causas que mais importam para nós uma realidade. Estamos tristes por vê-lo partir, mas desejamos a ele tudo de melhor em sua carreira futura. Estamos ansiosos para lançar a busca de recrutamento em breve e dar as boas-vindas a um novo CEO ainda este ano".

Knauf ganhou as manchetes no início de março, depois que o The Times informou que ele levantou uma reclamação contra Meghan Markle em outubro de 2018.

Segundo o jornal, Knauf enviou um e-mail para Simon Case, o então secretário particular de William, após uma conversa com a chefe do RH Samantha Carruthers. Este e-mail, que o E! News não viu ou verificou, foi então supostamente enviado para Carruthers. De acordo com a publicação, Knauf, que também servia como secretário de comunicações de Meghan e Príncipe Harry na época, alegou no e-mail que "a Duquesa foi capaz de intimidar dois assistentes pessoais para fora da empresa no ano passado" e estava "tentando minar" a confiança de um terceiro funcionário.

leia também
Meghan Markle exibe a barriguinha de grávida em rara aparição na TV

A notícia se espalhou poucos dias antes da entrevista de Oprah Winfrey com Meghan e Harry, que se afastaram como "membros trabalhadores da família real", ter ido ao ar. Em uma declaração ao The Times, um porta-voz dos Sussex negou as acusações e as chamou de "uma campanha de difamação calculada com base em desinformação enganosa e prejudicial".

"A Duquesa está triste por esse último ataque ao seu caráter, particularmente como alguém que tem sido alvo de assédio moral e está profundamente comprometida em apoiar aqueles que passaram por essa dor e trauma", disse representante de Meghan em comunicado ao E! News.

leia também
Equipe de Meghan Markle chama acusação de bullying real de "ataque a seu caráter"

O Palácio de Buckingham iniciou uma investigação sobre as acusações naquele mesmo mês. Os resultados ainda não foram compartilhados. "Estamos claramente muito preocupados com as alegações no The Times após acusações feitas por ex-funcionários do Duque e da Duquesa de Sussex. Consequentemente, nossa equipe de RH analisará as circunstâncias descritas no artigo. Membros da equipe envolvidos na época, incluindo aqueles que deixaram a empresa, serão convidados a participar para ver se lições podem ser aprendidas. A família real tem uma política de Dignidade no Trabalho em vigor há vários anos e não tolera e não tolerará intimidação ou assédio no local de trabalho".

Kate Middleton e Meghan Markle em Wimbledon 2019