Anthony Hopkins homenageia Chadwick Boseman em agradecimento do Oscar 2021

O ator de Meu Pai não deixou de citar o falecido astro de Hollywood em seu discurso de aceitação de Melhor Ator. Confira!

por Kisha Forde | Traduzido Por Sally Borges | 26 abr, 2021 15:47Tags
Anthony Hopkins, The FatherSony Pictures Classics/Moviestore/Shutterstock

Anthony Hopkins ficou surpreso ao saber que faturou a estatueta de Melhor Ator durante o Oscar 2021. E a Internet foi à loucura, já que muitos achavam que o ator falecido, Chadwick Boseman, levaria o prêmio por seu papel em A Voz Suprema do Blues.

"Aos 83 anos de idade, não esperava receber este prêmio", afirmou o lendário ator, em vídeo postado no Instagram. "Eu realmente não sabia. Estou muito grato à Academia e obrigado".

Em seguida, Hopkins reconheceu o talento do eterno astro de Hollywood, com quem estava disputando o prêmio. "Quero prestar homenagem a Chadwick Boseman, que tirado de nós muito cedo. Eu realmente não esperava isso, então me sinto muito privilegiado e honrado. Obrigado", finalizou o vencedor.

O grande ator, que ganhou por seu papel no filme Meu Pai, gravou seu discurso de aceitação no País de Gales, já que não pôde comparecer às festividades pessoalmente.

leia também
Chloé Zhao é 2ª mulher a vencer Oscar de Melhor Direção

Pela primeira vez na história do Oscar, a categoria de Melhor Ator foi o último segmento a encerrar o espetáculo. Por causa desse acordo, o público presumivelmente esperava que o prêmio fosse dado a Boseman postumamente, que faleceu em agosto de 2020, devido a um câncer de cólon, aos 43 anos.

A interpretação de Boseman para o papel em A Voz Suprema do Blues lhe rendeu um Globo de Ouro, um Screen Actors Guild Award e um Critics Choice Award, entre outros prêmios. Esta foi a primeira indicação ao Oscar do falecido ator.

Por sua vitória, Hopkins, de 83 anos, faz história como o ator mais velho a receber o cobiçado troféu. Esta é a segunda vez que o astro ganha um Oscar de Melhor Ator, sendo a primeira por seu papel principal no filme de 1991, O Silêncio dos Inocentes.