Última Hora

Júri declara ex-policial Derek Chauvin culpado pela morte de George Floyd

Em júri popular, o ex-oficial norte-americano foi condenado nesta terça-feira, 20, pelo Tribunal do Condado de Hennepin. Saiba detalhes.

por Cydney Contreras | Traduzido Por Sally Borges | 20 abr, 2021 22:23Tags
Derek ChauvinBrommerich/AP/Shutterstock

Derek Chauvin, ex-oficial de polícia de Minneapolis, foi condenado nesta terça-feira, 20, pelo assassinato de George Floyd. O Tribunal do Condado de Hennepin anunciou que um júri de 12 membros considerou Chauvin culpado pela morte de Floyd, em maio de 2020.

Ele foi considerado culpado nas três acusações contra o ex-segurança. Ou seja, assassinato não intencional em segundo grau, assassinato em terceiro grau e homicídio culposo. No Brasil, os atos são de negligência ao assumir o risco consciente de causar a morte, causar a morte sem a intenção, por meio de um ato perigoso e homicídio culposo.

A sentença de Chauvin ainda não foi anunciada. No entanto, ele pode pegar uma pena máxima de 40 anos de prisão.

Bem Crump, advogado da família Floyd, twittou em resposta: "CULPADO! A Justiça dolorosamente conquistada finalmente chegou para a família de George Floyd. Este veredicto é um ponto de viragem na história e envia uma mensagem clara sobre a necessidade de responsabilização das autoridades policiais. Justiça para a América negra é Justiça para toda a América!".

leia também
Os famosos que foram a protestos após morte de George Floyd

Depois de ouvir três semanas de depoimentos de testemunhas, o júri começou a deliberar na segunda-feira, 19, e chegou a sua decisão em menos de 48 horas.

Em maio do ano passado, Chauvin e três outros policiais foram presos após Floyd morrer sob a custódia deles. De acordo com os promotores, Chauvin ajoelhou-se na nunca de Floyd por 9 minutos e 29 segundos, mesmo quando a vítima, que estava algemado, disse que estava tendo dificuldades de respiração.

Courtesy Ben Crump Law

De acordo com a NBC News, os promotores argumentaram que Floyd morreu por asfixia, enquanto a defesa disse que a morte dele foi provavelmente causada por uma combinação de fatores, incluindo o uso de drogas e uma doença cardíaca pré-existente.

Uma autópsia independente conduzida em nome da família de Floyd concluiu que ele morreu de uma "parada cardiopulmonar complicando subjugação, contenção e compressão do pescoço".

De acordo com a autópsia, outras condições significativas que levaram à sua morte incluíram "doença cardíaca arteriosclerótica e hipertensiva; intoxicação por fentanil; uso recente de metanfetamina".

Hennepin County Sheriff

Ainda segundo a NBC News, o promotor Steve Schleicher disse em seus argumentos finais: "O réu abandonou seus valores, abandonou o treinamento e matou um homem".

Chauvin não se manifestou para testemunhar em sua própria defesa, ao invés disso, invocou seu direito de quinta emenda. Seus companheiros oficiais, J.A. Keung, Thomas Lane e Tou Thao, estão enfrentando acusações criminais de auxílio e cumplicidade em homicídio culposo e de homicídio culposo em segundo grau. O julgamento deles será em agosto.