Escritor de Suits defende Meghan Markle em meio a acusações de assédio moral

Poucos dias depois da publicação polêmica do The Times, Jon Cowan acessou o Twitter para defender a Duquesa de Sussex.

por Elyse Dupre | Traduzido Por Sally Borges | 04 mar, 2021 19:01Tags
Recomendado para você: Escritor de Suits defende Meghan Markle em meio a acusações de assédio moral

Meghan Markle tem recebido apoio de seus ex-colegas de trabalho, em especial de Suits. Jon Cowan, um dos escritores da série, saiu em defesa de Meghan após as polêmicas publicações do The Times.

No início da semana, o veículo britânico relatou que uma queixa de bullying foi apresentada contra a Duquesa de Sussex por um funcionário real em 2018.

Em 3 de março, um usuário do Twitter escreveu em uma postagem já excluída:

"Você sabe, está totalmente dentro do reino da possibilidade de que AMBOS os habitantes do Palácio de Buckingham / Kensington e a Duquesa de Sussex sejam pessoas horríveis. Nós vivemos em um mundo não mais limitado por oposições simplesmente binárias".

No entanto, Jon Cowan, um dos escritores de Suits – da qual Meghan estrelou antes de se casar com o Príncipe Harry – a defendeu. 

"Também é possível que a Duquesa de Sussex seja uma boa pessoa lançada em um mundo inimaginável", respondeu ele. "Tendo passado 3 anos trabalhando com ela em seus dias pré-Duquesa, eu vi uma pessoa calorosa, gentil e atenciosa. Não sei nada sobre sua situação atual, mas ela obtém o benefício da dúvida em meu livro".

leia também
Meghan Markle usa vestido de 30 dólares em chamada de vídeo

De acordo com o The Times, Jason Knauf, que anteriormente atuou como secretário de comunicações de Meghan e Harry, registrou a reclamação em outubro de 2018. O jornal relatou que ele enviou um e-mail para Simon Case, então secretário particular do Príncipe William, após conversas com o chefe de RH, Samantha Carruthers. O e-mail foi então encaminhado para Samantha.

De acordo com a publicação, o e-mail afirmava que "a Duquesa conseguiu expulsar dois PAs de sua casa no ano passado" e estava "tentando minar" a confiança de outro funcionário.

Tim Rooke/Shutterstock

Desde então, o Palácio de Buckingham lançou uma investigação sobre as reivindicações.

"Nós estamos claramente muito preocupados sobre as acusações no The Times, após reclamações feitas por ex-funcionários do Duque e da Duquesa de Sussex", disse o Palácio em comunicado na quarta-feira, 3. "Conseqüentemente, nossa equipe de RH analisará as circunstâncias descritas na matéria. Membros da equipe envolvidos na época, incluindo aqueles que deixaram a empresa, serão convidados a participar para ver se as lições podem ser aprendidas".

"A Royal Household tem uma política de Dignidade no Trabalho em vigor há vários anos e não tolera e não tolerará intimidação ou assédio no local de trabalho", finalizou. 

Um porta-voz dos Sussex negou as acusações, chamando-as de "uma campanha de difamação calculada baseada em desinformação enganosa e prejudicial" em um comunicado ao The Times.

"A Duquesa está triste por esse último ataque ao seu caráter, particularmente como alguém que tem sido alvo de assédio moral e está profundamente comprometida em apoiar aqueles que passaram por essa dor e trauma", disse representante de Meghan em comunicado ao E! News.

"Ela está determinada a continuar seu trabalho construindo compaixão ao redor do mundo e vai continuar lutando para ser um exemplo por fazer o que é certo e fazer o que é bom".

Chris Jackson/Getty Images

As acusações vêm semanas após a confirmação de que Harry e Meghan não voltarão como membros trabalhadores da Família Real. Os dois recuaram como membros seniores no ano passado. As alegações também chegam antes de uma entrevista do casal para Oprah Winfrey, programada para 7 de março.

Enquanto os advogados do Duque e da Duquesa disseram ao The Times que o jornal está "sendo usado pelo Palácio de Buckingham para espalhar uma narrativa totalmente falsa" antes da entrevista, a publicação escreveu que "entende que o estabelecimento do Palácio está altamente preocupado com o surgimento das alegações".

Em uma prévia da entrevista, intitulada Oprah With Meghan and Harry: A CBS Primetime Special, Meghan, que está grávida do segundo bebê, é questionada sobre como ela se sente sobre o Palácio ouvi-la falar

"Eu não sei como eles poderiam esperar que depois de todo esse tempo nós ainda ficaríamos em silêncio, quando há um papel ativo que a família real desempenha em perpetuar mentiras sobre nós". 

"E se isso vem com o risco de perder coisas, quero dizer, há muita coisa que já foi perdida", afirma ela, sobre as possíveis consequências dessa entrevista.