Evan Rachel Wood diz que sofreu abusos do ex Marilyn Manson por anos

A atriz, que ficou noiva do cantor em 2010, fez acusação no Instagram nesta segunda-feira, 1º.

por Elyse Dupre | Traduzido Por Miriam Kaibara | 01 fev, 2021 17:26Tags
Recomendado para você: Evan Rachel Wood diz que sofreu abusos do ex Marilyn Manson por anos

Evan Rachel Wood é mais uma famosa que expôs caso de relacionamento abusivo ao público. Nesta segunda-feira, 1º, Rachel revelou que foi "terrivelmente" abusada por anos pelo ex Marilyn Manson

A atriz de Westworld, de 33 anos, que já foi noiva do cantor, de 52 anos, publicou diversas alegações em seu Instagram. 

"O nome do meu abusador é Brian Warner, também conhecido pelo mundo como Marilyn Mason. Ele começou a me assediar quando eu era uma adolescente e abusou terrivelmente de mim por anos. Passei por uma lavagem cerebral e fui manipulada até à submissão", iniciou ela.

"Já cansei de viver com medo de retaliação, difamação ou chantagem. Estou aqui para expor esse perigoso homem e chamar a atenção de muitas indústrias que o capacitaram, antes que ele destrua mais vidas. Eu estou do lado das vítimas que não ficarão mais caladas"

O namoro de Wood e Mason se tornou público em 2007, quando ela tinha 19 anos e ele tinha 38. Eles ficaram noivos em 2010, mas se separaram mais tarde no mesmo ano. 

A atriz já tinha relatado abusos anteriormente, no entanto, ela nunca revelou nenhum nome. Em 2016, em entrevista à Rolling Stone, Rachel falou sobre ter sofrido abuso "físico, psicológico e sexual". 

"Eu fui estuprada. Por uma pessoa que eu considerava quando estávamos juntos. E em uma outra ocasião, pelo dono de um bar... Eu não acredito que nós vivemos em uma época onde as pessoas possam ficar mais em silêncio. Não considerando o estado em que se encontra nosso mundo, com seu fanatismo e sexismo descarados".

leia também
Duda Reis acusa Nego do Borel de estupro e transmissão de HPV

Em 2018, ela também depôs perante um Comitê Judiciário da Câmara em esforço de implementar o Survivors Bill of Rights Act (Lei de Direitos dos Sobreviventes) em todos os 50 estados dos Estados Unidos. 

"Minha experiência com violência doméstica foi essa: abuso mental, físico e sexual tóxico, que começou devagar, mas aumentou com o tempo, incluindo ameaças contra minha vida, severa manipulação e lavagem cerebral, acordar com um homem que dizia que me amava, estuprando o que ele acreditava ser um corpo inconsciente", disse ela na época. "E a pior parte, rituais doentios amarrando minhas mãos e pés para ser torturada mentalmente e fisicamente até que meu abusador sentisse que eu tinha provado meu amor por ele"

No ano seguinte, Rachel testemunhou perante ao Senado da Califórnia em nome do Phoenix Act, e se pronunciou em uma postagem usando a hashtag #IAmNotOK (#EuNãoEstouBem).

Segundo o Hollywood Reporter, a polícia reportou uma denúncia feita contra Manson, em maio de 2018, por crimes sexuais não especificados datados de 2011. Segundo o veículo, citando uma ação judicial, o promotor do distrito declinou o caso devido ao prazo de prescrição que havia expirado e "ausência de comprovação".

Em comunicado, o advogado de Manson disse o THR que "as alegações feitas à polícia foram e são categoricamente negadas" por Marilyn e que "qualquer acusação de impropriedade sexual ou prisão naquele ou em qualquer outro momento é falsa. Não está claro quem apresentou a acusação.

Em 2009, em entrevista à Spin, Mason disse: "Eu tenho fantasias todos os dias sobre quebrar o crânio dela com uma marreta".

Em novembro de 2020, a equipe de Manson disse à Metal Hammer, que "os comentários na Spin, onde Manson tinha a fantasia de usar uma marreta em Evan e que ele se cortou 158 vezes era obviamente uma entrevista teatral de uma estrela do rock promovendo seu novo álbum, e não um relato factual. O fato de que Evan e Manson ficaram noivos seis meses após essa entrevista, indica que ninguém interpretou essa história literalmente".

A matéria da Metal Hammer também questionou a reação de Manson ao testemunho de Rachel, em 2018, no qual o time respondeu: "Testemunho pessoal, é apenas isso, e nós achamos que é inapropriado comentar sobre isso". Em resposta à outras perguntas relacionadas à Rachel, sua equipe alegou que "há também inúmeras matérias ao longo de vários anos onde Evan Rachel Wood fala muito positivamente sobre seu relacionamento com Manson".