Cleo defende sensibilidade de Fiuk no BBB21: "Ele chora por tudo"

Após o confinado não conter as lágrimas com a primeira briga da casa, a atriz falou sobre a personalidade do irmão. Veja!

por Sally Borges 28 jan, 2021 22:34Tags
Recomendado para você: Cleo defende sensibilidade de Fiuk no BBB21: "Ele chora por tudo"

Cleo Pires saiu em defesa do irmão, Fiuk, nesta quinta-feira, 28. O motivo? Cleo explicou que Fiuk é muito emotivo e que "chora por tudo", assim como ele tem demonstrado no BBB 21.

O cantor chorou em diversos momentos; em apenas três dias de confinamento, ele já derramou lágrimas quando entrou no reality, na breve apresentação dos participantes, na briga sobre os homens desfilarem maquiados e até quando um de seus hits tocou na primeira festa.

"O Felipe chora mesmo. Acho que já deu para perceber. Chora por tudo. Então, não é pra fazer cena, nem nada", explicou a musa, no Instagram.

Cleo defendeu o irmão na rede social após a discussão de Lumena e alguns dos homens da casa, especialmente com Caio.

leia também
Cleo tira sarro após web descobrir que Fiuk não é filho de Gloria Pires

A psicóloga explicou por que o ato de eles usarem maquiagem e usarem roupas de mulheres era problemático diante da comunidade LGBTQIA+. A participante ficou ofendida e disse aos brithers que eles também poderiam ofender pessoas transexuais. Com isso, Fiuk se desculpou e foi às lágrimas.

"Infelizmente, quem causa isso tudo - que é responsabilidade que você tem que assumir – são os homens brancos privilegiados, que vão atrás, que batem, que impõem. A gente precisa ouvir. A gente tem que entender a dor de todo mundo e escutar. A gente precisa entender nosso lugar de fala: a gente é homem, branco, hetero, ‘privilegiadasso'. Estou me sentindo muito mal de ter participado disso. Do fundo do meu coração, me desculpa por isso, Lu", disse ele.

Cleo, por sua vez, concordou com a abordagem de Lumena e explicou o quão importante é dar voz às comunidades oprimidas.

"É muito importante esse diálogo e o que a Lumena está falando. Ela sentiu algo que faz total sentido e problematizou, errada não está. É sobre isso, poder falar sobre coisas que foram motivos de opressão por muito tempo. Achei que foi muito válido, pareceu um desabafo de uma pessoa que vive perto dessa realidade. Ela convive com pessoas trans que ela ama e isso machuca ela. Finalmente, podemos ter esse diálogo sobre temas que antes não rolavam".

"Ele [Fiuk] falou de forma intensa, que é a maneira dele. Ele falou bem como um homem branco, cis, hetero e privilegiado, dizendo que isso não era sobre ele", finalizou a atriz, sobre o irmão.