FKA Twigs sobre relação com Shia LaBeouf: "Me estrangulou em público"

Atriz deu mais detalhes sobre a relação abusiva que viveu com o ator.

por Alyssa Morin | Traduzido Por Miriam Kaibara | 26 jan, 2021 19:24Tags

FKA Twigs revelou mais detalhes de sua relação abusiva com o ex-namorado Shia LaBeouf. Um mês após entrar com processo contra Shia por agressão, FKA se abriu sobre os momentos que passou ao lado do ator. 

Em entrevista ao podcast Grounded With Louis Theroux, a cantora, que se chama Tahliah Debrett Arnett, contou por que ela decidiu falar publicamente sobre sua experiência. "Há algo na sociedade que é um grande problema e é muito comum, mas por alguma razão nós não falamos sobre isso". 

A estrela descreveu o início do romance com Shia como um "intenso período de lua de mel, que era um significante do quão brilhante as coisas podem ser". 

"Isso define a referência para caso você se comporte bem", ela continuou. "E se você preenche todos os requisitos e conhece as regras, e todas essas coisas do agressor, pode ser... ótimo".

leia também
Shia LaBeouf e FKA Twigs são vistos em clima de romance em Paris

A dupla se conheceu no set da semi-sutobiografia do ator, Honey Boy, no qual os dois estrelaram. Quando eles começaram a namorar em 2018, FKA disse que Shia mostrou "grandes demonstrações de afeto", uma afirmação que ela também fez em seu processo.

Ela explicou que a estrela de Transformers estava "preparando-a" e portanto, "ultrapassando seus limites emocionais e espirituais".

Contudo, depois que os "momentos felizes" se foram, ela alegou que Shia se tornou "ciumento" e "controlador".

Shutterstock

Ela disse que notou "pequenas coisas que você poderia fazer erado que levariam a felicidade embora". Ela também disse que as coisas mais simples poderiam provocar uma reação de Shia. 

"Pra mim, era ser gentil com um garçom, ou educada com alguém, que puderia ser visto como eu flertando ou querendo engatar algum tipo de relacionamento com alguém, quando eu literalmente estava apenas pedindo meu prato de massa", ela explicou. "Me foi dito que eu sabia como ele era, e se eu o amasse, eu não olharia para os homens em seus olhos. Essa foi minha realidade por uns bons quatro meses.... onde eu não tinha permissão para olhar nos olhos dos homens". 

Além disso, a cantora alegou que o ator contava quantas vezes no dia ela o beijava. Shia tinha uma cota sobre o assunto e a mudava após ter sido atingida. "Eram como toques, olhares ou beijos", ela contou, acrescentando que nunca sabia "qual era o número certo".

"Sua parceira anterior aparentemente conhecia esse número muito bem", disse ela sem citar nomes, "então, eu estava inadequada comparada à sua ex-namorada".

FKA Twigs explicou que se ela não atendesse aos requisitos de Shia, "Ele começava uma discussão comigo, me repreendia por horas, me fazia sentir a pior pessoa de todos os tempos".

David Fisher/Shutterstock

Nesses momentos, ela descreveu o quanto o ator a fazia se sentir uma "namorada terrível" e mencionou que ele supostamente ligava para seus ex-namorados para perguntar se ela era uma boa amante.

"Qualquer tipo de interação agradável no dia a dia poderia resultar em um evento de três dias em que eu era repreendida e mantida acordada", ela lembrou. "Acho que, para mim, comecei a realmente me isolar. Então, parei de falar com meus amigos. Não falei com minha família. Eu só estava vivendo uma vida muito controlada e contida que eu sentia que no mínimo me levou a um problema".

"Eu me senti tão controlada e confusa e tão desanimada que o medo de ir embora e saber que tinha todo esse trabalho a fazer para voltar a me sentir bem, foi completamente opressor", ela continuou.

Além disso, a indicada ao Grammy falou sobre o momento em que recebeu um "grande chamado", que a ajudou a começar a se curar e seguir em frente com seu relacionamento.

Enquanto voltavam de uma viagem, FKA Twigs afirmou que a estrela de Fury estava "ameaçando bater o carro a menos que eu dissesse que o amava".

"Ele acabou basicamente me estrangulando em público em um posto de gasolina e ninguém fez nada. Foi um momento tão desanimador para mim, porque senti que nunca acreditariam em mim".

Pouco depois do suposto incidente, a cantora disse que ligou para uma linha de ajuda gratuita dedicada a mulheres que sofreram abusos. Depois de se sentir compreendida pelo telefone, FKA disse que foi como um "enorme chamado para despertar".

Após receber ajuda, a cantora espera que sua história possa fazer o mesmo por outras pessoas. 

"Tudo o que eu posso fazer é pensar em mim quando eu tiver 50 anos e tiver filhos. Eu penso sobre o que eu quero ter representado. Isso é algo que foi completamente inesperado. Eu nunca pensei que algo assim aconteceria comigo... Quando eu estiver mais velha, se eu tiver uma filha, eu quero ser capaz de dizer, 'Essa coisa aconteceu comigo. E eu lidei com isso'". 

"Essa situação não é mais sobre Shia, e realmente não é sobre mim", completou. 

"Estou fazendo isso por algo muito maior. Eu só quero mudar a conversa e o estigma sobre o abuso doméstico. Eu estou definitivamente curada em um ponto no qual eu posso transformar minha experiência em algo positivo, para tentar ajudar outras pessoas. É tudo o que eu quero"

"É uma grande coisa se curar publicamente e ter que fazer isso em frente de todos. Mas eu posso fazer isso. Sou uma grande garota e eu posso fazer isso", disse a cantora.

Amanda Edwards/WireImage

No momento, Shia não comentou a recente entrevista do FKA Twigs. No entanto, seu advogado disse ao E! News no Natal que ele está "buscando ativamente o tipo de tratamento de internação significativo, intensivo e de longo prazo de que ele precisa desesperadamente".

Após o processo e o texto da cantora ser publicado no New York Times, Shia emitiu um comunicado, dizendo que era um membro sóbrio de um programa de 12 etapas e comprometido com a recuperação.

"Embora muitas dessas alegações não sejam verdadeiras. Não estou em posição de defender nenhuma de minhas ações", disse ele na época. "Devo a essas mulheres a oportunidade de expor suas declarações publicamente e aceitar a responsabilidade por tudo o que fiz. Como alguém em recuperação, tenho que enfrentar lembretes quase diários de coisas que disse e fiz quando estava bebendo".

"Sempre foi fácil para mim aceitar a responsabilidade quando meu comportamento mal se reflete em mim", continuou ele, "mas é muito mais difícil aceitar o conhecimento de que posso ter causado grande dor aos outros. Não posso reescrever a história. Eu só posso aceitar isso e trabalhar para ser melhor no futuro... Não estou curado do meu Transtorno de estresse pós-traumático e do alcoolismo, mas estou empenhado em fazer o que preciso fazer para me recuperar, e vou sentir para sempre pelas pessoas que eu possa ter prejudicado ao longo do caminho".