Selena Gomez acusa Facebook e Instagram de tolerarem o ódio na web

A cantora disse ter ficado “sem palavras” devido a algumas das contas que têm permissão para operar nas redes sociais.

por Ryan Gajewski | Traduzido Por Sally Borges | 03 dez, 2020 16:18Tags
Recomendado para você: Selena Gomez acusa Facebook e Instagram de tolerarem o ódio na web

Selena Gomez está farta de alguns conteúdos que tem visto recentemente nas redes sociais. Selena, que pode estar de namorado novo, compartilhou suas preocupações sobre assuntos que não disseminam o bem.

Na quarta-feira, 2, a estrela foi ao Twitter e repostou uma mensagem do Centre for Countering Digital Hate (CCDH), uma organização sem fins lucrativos, com sede em Londres, focada em fazer lobby em empresas de tecnologia para eliminar usuários que espalham conteúdo considerado prejudicial.

O tweet, de 23 de novembro, inclui uma série de contas que o grupo se refere como "venda de produtos racistas no Facebook e Instagram". A mensagem continua: "O Facebook deixou essas páginas online, apesar de ter sido informado sobre elas há 3 dias. @Facebook, remova esta rede neonazista por completo, agora". 

Então, a cantora respondeu: "Estou sem palavras. @Facebook @Instagram como você estão tolerando esse ódio? Ainda há contas lá, embora vocês tenham sido notificados!". As redes sociais não se manifestaram sobre o assunto.

leia também
Produtores de Uma Galera do Barulho pedem desculpa por piada com Selena Gomez

Esta não é a primeira vez que a embaixadora da UNICEF expressa a sua ira em relação ao cenário da mídia social. Em setembro, ela foi aos Stories para mostrar uma DM que havia enviado aos executivos do Facebook, Mark Zuckerberg e Sheryl Sandberg.

Richard Shotwell/Invision/AP/REX/Shutterstock

"O Facebook e o Instagram estão sendo usados para espalhar ódio, desinformação, racismo e intolerância", escreveu a musa no post, de acordo com o Deadline. "Estou ligando para vocês dois para AJUDAR A PARAR ISSO. Por favor, fechem grupos e usuários focados em espalhar violência e desinformação por discurso de ódio. Nosso futuro depende disso".

A cantora de 28 anos é co-presidente da When We All Vote, uma organização sem fins lucrativos que visa aumentar a participação dos eleitores, e sua mensagem de setembro para os chefes do Facebook enfatizou a importância da voz de todos ser ouvida.

"Não podemos nos dar ao luxo de ter desinformação sobre a votação", disse ela, na época. "Tem que haver verificação de fatos e responsabilidade. Espero ouvir de vocês o mais rápido possível".