Ally Brooke fala da sua "corajosa" decisão de revelar que ainda é virgem

A integrante do Fifth Harmony falou sobre sua “corajosa” decisão de falar que ainda não teve relações sexuais.

por Kaitlin Reilly | Traduzido Por Sally Borges | 04 out, 2020 16:50Tags
Recomendado para você: Ally Brooke fala da sua "corajosa" decisão de revelar que ainda é virgem

Ally Brooke, do Fifth Harmony, abriu o jogo sobre ser virgem aos 27 anos e como isso afetou sua vida amorosa. Em entrevista a Dax Holt e Adam Glyn, do podcast Hollywood Raw, Ally revelou que não planeja fazer sexo antes do casamento. 

"Eu coloquei isso no meu livro e fui aberta sobre isso", disse a cantora, que deve lançar seu livro de memórias, Finding Harmony, no dia 13 de outubro. "Eu fui corajosa em compartilhar isso". 

"Fiquei muito feliz em compartilhar isso com meus fãs e leitores, mostrar a eles a escolha que eu fiz e fazer com que eles recebam como quiserem. Deixar o meu coração brilhar era o objetivo deste livro". 

Quando questionada pelos anfitriões como isso afeta sua vida amorosa, a estrela admitiu que há riscos ao divulgar essa informação, mas que, até agora, "todo mundo tem respeitado, o que é incrível".

"Eu tive aqueles momentos em que as pessoas zombavam de mim ou me questionavam, como ‘sim, certo', mas eu apenas tenho que manter isso em meu coração, saber minha verdade e meio que deixar assim", acrescentou ela. "É incrível sentir esse respeito. Nunca senti qualquer pressão".

leia também
Ally Brooke lança primeiro clipe de sua carreira solo, Low Key

Além de falar abertamente sobre não fazer sexo antes do casamento, Ally foi sincera sobre um executivo de música inadequado durante os seus primeiros dias no Fifth Harmony.

Richard Shotwell/Invision/AP/Shutterstock

"Este executivo de música veio me encontrar para saber se eu poderia ajudá-lo. Então, quando eu fui, ele me deu uma calcinha fio dental e disse: ‘Você ficaria muito bem com isso'. Me senti completamente humilhada, chocada e enojada. Eu não sentia que tinha algum poder para fazer algo a respeito porque, infelizmente, as pessoas ouviam falar dessas coisas, mas na verdade não faziam muito. As pessoas não estavam sendo responsabilizadas por suas ações. Então, eu me senti tão desamparada e sozinha. Apenas uma humilhação abrasadora e de dar medo. Na hora, o que eu poderia fazer? Eu era apenas uma garotinha em um grupo e todas essas pessoas tinham o poder".

Agora que a musa assumiu o próprio poder, ela está pronta para compartilhar essas histórias e muito mais em seu novo livro. Mas, uma coisa que ela não deve comentar é a saída de Camila Cabello do grupo, em 2016, que ocorreu dois anos antes da separação das integrantes.

"Com meu livro, não entro nisso. Eu meio que queria focar no positivo, e é por isso que não falei muito. Obviamente, foi uma transição difícil de maneiras diferentes, mas ao mesmo tempo, foi emocionante começar do zero com um quarteto. Fomos capazes de escrever, ter uma nova equipe e fazer coisas incríveis", revelou a cantora.

E se o quarteto pode um dia se reunir em uma premiação ou algo especial no futuro, Ally disse que "tudo é possível". 

"Honestamente, os últimos anos têm sido uma loucura. Nós não temos nos falado muito. Acho que todas estão fazendo suas próprias coisas e estão muito ocupadas. A vida meio que nos puxou em direções diferentes. É incrível ver que todas brilharam e prosperaram", finalizou ela.