Katie Leung, de Harry Potter, responde posts polêmicos de J.K. Rowling

A autora foi acusada de transfobia após dar sua opinião sobre o assunto e parece ter recebido uma resposta da atriz.
por Samantha Schnurr | Traduzido Por Sally Borges | 08 jun, 2020 17:14Tags
Recomendado para você: Katie Leung responde posts polêmicos de J.K. Rowling

J.K. Rowling foi acusada de transfobia após fazer uma série de comentários sobre o assunto no final de semana. E no domingo, 8, Katie Leung, a intérprete de Cho Chang em Harry Potter, reagiu à polêmica no Twitter.

"Então, vocês querem meus pensamentos sobre a Cho Chang? Ok, aqui vai...", disse ela, a princípio, após compartilhar vários links de apoio a pessoas trans negras e pessoas LGBTQ da África, da Ásia, Caribe, Oriente Médio e América Latina.

Além disso, a atriz compartilhou uma petição pedindo mais proteção para as mulheres transexuais negras no Reino Unido e um fundo para a comunidade de transexuais negras em Atlanta que vivem nas ruas ou profissionais do sexo.

Ela concluiu o tópico com a hashtag #AsiansForBlackLives.

leia também
J.K. Rowling, autora de Harry Potter, vai lançar novo livro, The Ickabog

No sábado, 7, J.K. Rowling compartilhou um link de um site sobre saúde global intitulado "Criando um mundo pós-COVID-19 mais igualitário para as pessoas que menstruam".

Não demorou muito para que boa parte dos internautas começasse a questionar os seus tweets, ressaltando que homens trans e pessoas não-binárias também menstruam, enquanto algumas mulheres designadas ao nascer não menstruam por questões médicas.

"Passei boa parte dos últimos três anos lendo livros, blogs e artigos científicos de pessoas trans, médicos e especialistas em gênero. Sei exatamente qual é a distinção. Nunca presuma que, porque alguém pensa de maneira diferente, ela não tem conhecimento", disse a autora de livros.

"Eu respeito o direito de todas as pessoas trans de viver de qualquer maneira que lhes pareça autêntica e confortável. Eu marcharia com vocês se vocês fossem discriminados por serem trans. Ao mesmo tempo, minha vida foi moldada por ser uma mulher. Não acredito que seja algo de ódio dizer isso".

O nome da autora ficou entre os mais comentados no Twitter.