William Bonner se tornou um dos assuntos mais comentados do Twitter nessa quarta-feira, 6. Na noite de ontem, William se posicionou no Jornal Nacional com reflexão sobre as mortes causadas pelo coronavírus e comoveu a web. 

"Você já nem deve lembrar, mas, na quinta passada, eram 5.901 mortos. Os números vão aumentando desse jeito, cada vez mais rápido, vão dando saltos. E vai todo mundo se acostumando", disse ele.

Em seguida, o âncora se lembra de tragédias que já aconteceram no mundo. "As pessoas levam um baque: morreram mais de 250 pessoas em Brumadinho. É uma tragédia. Nos Estados Unidos, em 2001, morreram quase 3 mil nos atentados de 11 de setembro. Três mil assim, de repente. Mas quando as mortes vão se acumulando ao longo de dias e de semanas, como acontece agora na pandemia, esse baque se dilui".

"Oito mil vidas acabaram. Eram vidas de pessoas amadas por outras pessoas, pais, filhos, irmãos, amigos e conhecidos. O luto dessas tantas famílias vai ficando só para elas, porque as outras pessoas já não tem nem como refletir sobre a gravidade dessas mortes todas".

E então, o jornalista finaliza lembrando que muitas vezes as pessoas só sentem o tamanho da gravidade quando é atingida de perto: "Hoje são 8.500, amanhã a gente não sabe. Quando é assim, o baque só acontece quando quem morre é um parente, um amigo, um vizinho ou uma pessoa famosa".

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.