Taylor Swift condena gravadora por lançar álbum sem sua autorização

Nesta quinta-feira, 23, a cantora foi à tona nos Stories do Instagram para negar que tenha apoiado uma recente decisão da Big Machine Records.

por McKenna Aiello | Traduzido Por Sally Borges | 23 abr, 2020 21:28Tags
Recomendado para você: Taylor Swift condena gravadora por lançar álbum sem sua autorização

Taylor Swift está soltando o verbo novamente sobre a Big Machine Records. Na tarde desta quinta-feira, 23, Taylor veio à tona no Instagram para dizer que não consentiu com mais uma decisão de sua ex-gravadora. 

De acordo com a cantora, que já trocou farpas com Scooter Braun, explicou que não autorizou que a Big Machine fizesse uma nova coleção das suas músicas.

Ela chamou o ato de "ganância descarada" e confirmou os rumores de que Braun adquiriu o selo – e com ele, os direitos de toda a discografia de Taylor – por 330 milhões de dólares, ou seja, um bilhão e 826 milhões de reais.

"Quero agradecer aos meus fãs por me informaram que minha antiga gravadora está lançando um ‘álbum' de performances ao vivo minhas esta noite", escreveu a cantora nos Stories. "Esta gravação é de uma apresentação de um programa de rádio de 2008 que eu fiz aos 18 anos".

"A Big Machine listou a data como um lançamento em 2018, mas eles vão lançar realmente esta noite à meia-noite".

leia também
Taylor Swift adia shows no Brasil por causa do coronavírus

"Eu sempre sou honesta com vocês", continuou ela. "Então, eu só queria dizer que esse lançamento não foi aprovado por mim. Parece que Scooter Braun, seus financiadores, 23 Capital, Alex Soros, a família Soros e o The Carlyle Group viram os últimos balanços e perceberam que pagar 330 milhões de dólares pela minha música não foi exatamente uma escolha sábia e eles precisam de dinheiro". 

"Na minha opinião, apenas mais um caso de ganância descarada na época do coronavírus. Tão sem gosto, mas muito transparente".

Taylor Swift instagram

Há vários meses, Taylor está em desacordo com Braun e Scott Borchetta; depois que a dupla adquiriu os direitos de seus seis primeiros álbuns.

"Eu passei 10 meses da minha vida tentando comprar rigorosamente as minhas gravações e me foi negada a oportunidade, e só não quero que isso aconteça com outro artista se eu puder ajudar", desabafou Taylor, na época da compra. "Quero pelo menos levantar a mão e dizer: ‘Isso é algo que um artista deve receber de volta ao longo do contrato – não como uma manobra de renegociação – e algo que os artistas talvez tenham o primeiro direito de recusa da compra".

A musa prometeu regravar seus álbuns. Por enquanto, a Big Machine Records não se manifestou sobre a nova declaração.