As curiosidades sobre Caco Ciocler, o médico Paulo, de Unidade Básica

Saiba mais sobre o ator da série da Universal TV

por Miriam Kaibara 17 abr, 2020 17:43Tags
Caco Ciocler, Unidade BásicaUniversal Channel

Está procurando por atrações na TV durante a quarentena? Nossa sugestão é a série Unidade Básica, que terá sua segunda temporada transmitida pela Universal TV

Os novos episódios chegam ao canal no dia 3 de maio, às 23h. Você não vai perder, né?

A produção mostra o dia a dia de médicos em uma UBS e é estrelada por Caco Ciocler, que dá vida ao médico Paulo. Pensando nisso, decidimos fazer um aquecimento até a nova temporada com algumas curiosidades sobre o ator. Confira:

leia também
Por que você não pode perder a estreia da 2ª temporada de Unidade Básica

O ator nasceu no dia 27 de setembro de 1971.

Caco chegou a estudar Engenharia Química, na Universidade de São Paulo (USP), mas largou o curso pelo Teatro. 

Ele já fez filmes consagrados no cinema nacional como Bicho de Sete Cabeças (2001), O Xangô de Baker Street (2001), Olga (2004), Dois Coelhos (2012), Um Namorado Para Minha Mulher (2016) e Elis (2016).

Ele tem um filho chamado Bruno, de 22 anos, fruto de sua relação com Lavínia Lorenzon

Entre os prêmio de sua carreira se destacam o de Melhor Ator Coadjuvante, por Disparos, no Festival do Rio; Melhor Ator, por O Dia M, no Hollywood Brazilian Fest e o Melhor Ator Ciadjuvante, por Terra de Ninguém, no Prêmio Aplauso Brasil.

Suas peças de teatro mais recentes são, Constelações (2017),  A Tragédia Latino-Americana (2015) Terra de Ninguém (2014), e A Construção (2012).

Seus papéis memoráveis na TV incluem os personagens globais Sr. Peter, em Novo Mundo; Celso, em Salve Jorge; Leonardo, em JK; e Bento, em A Muralha

Divulgação/Universal TV

Recentemente, o ator criou uma campanha para ajudar o combate ao coronavírus. Chama-se "Lista Fortes Brasil" uma iniciativa onde as empresas poderão doar 1% de seu lucro.

"É uma lista de empresas que vão salvar o Brasil e que vamos usar de referência quando essa maluquice [do coronavírus] acabar. Porque no futuro vamos estudar isso na escola, assim como estudamos as Guerras Mundiais", disse ele ao GNT.