Os imprevistos de gravação em La Casa de Papel

O especial da Netflix, La Casa de Papel - El Fenómeno, conta curiosidades que os fãs nem imaginam

por Miriam Kaibara 10 abr, 2020 10:00Tags
La Casa de PapelNetflix

Aviso: contém spoilers da 3ª temporada da série

 

A quarta temporada de La Casa de Papel fez sua estreia no dia 3 de abril e já ocupa o lugar das atrações mais vistas da Netflix. E para a felicidade dos fãs, o streaming também lançou um documentário sobre a série com cenas de bastidores exclusivas. 

A produção, chamada de La Casa de Papel - El Fenónemo, mostra os atores dando depoimentos sobre o sucesso da trama e seus personagens, além de diretores e produtores contando histórias inéditas. 

Pensando nisso, decidimos reunir as curiosidades sobre as cenas icônicas dos episódios que tiveram por trás das câmeras diversos imprevistos, muito trabalho e boas risadas. Confira:

leia também
Ator de La Casa de Papel diz "Lula livre" e ex-presidente responde
Netflix

Quando a gente vê os integrantes do bando pegando as barras de ouro do cofre da Casa da Moeda, nem imagina que as cenas embaixo da água foram umas das mais trabalhosas da série, né? Além de terem que se locomover até a Inglaterra, na Pinewood Studios, o único que utiliza essa tecnologia, eles ainda tiveram vários problemas técnicos. 

Como por exemplo, as estantes que começaram a enferrujar e as barras de ouro falsas, que perderam sua cor e formato, devido à pressão da água. Os móveis foram recuperados, mas as barrinhas tiveram que ser corrigidas uma a uma no computador. O pessoal dos efeitos especiais não deve ter ficado muito contente, né?

Netflix

Uma das cenas mais icônicas da 3ª temporada é a da chuva de dinheiro em uma praça no centro de Madrid, na Espanha. Com um balão dirigível, o grupo joga milhares de notas de euros à população, que tenta guarda-las de forma desesperada. 

O problema da cena começou com os ventiladores que não funcionavam direito ao lançar as notas para o alto. Além disso, em cada take elas tiveram que ser recolhidas e jogadas novamente. Para piorar, o dia de gravação contou com uma chuva, que fez com que as cédulas grudassem no chão. 

Para a felicidade da equipe, o tempo abriu novamente e as notas conseguiram ser secas e recuperadas. Porém, o tempo que eles tinham para usar o luminoso gigante nos prédios tinha chegado ao fim, e de repente, eles foram surpreendidos com vídeos de propaganda. Após uma conversa, eles conseguiram exceder a permanência no centro da cidade e enfim gravar a cena. 

Netflix

Quando o Professor (Álvaro Morte) e Berlim (Pedro Alonso) se encontram na Itália, a gente nem imagina que a alguns metros dos atores estavam centenas de fãs que se aglomeravam para acompanhar as gravações. Ao fim de uma sequência, a dupla quis agradecer os fãs e decide cumprimentar o público pessoalmente.

Porém, os fãs acabaram se descontrolando e formando uma aglomeração gigante em torno dos atores, com pessoas chegando de todos os lados. O resultado? As gravações tiveram que ser encerradas e todos tievram que se esconder em um hotel. 

Netflix

Após escaparem do primeiro assalto toda a equipe foge em um navio e surge na fronteira marítima de Portugal, onde faz frio. Você pode lembrar que a cena é escura e eles usam casacos grossos, né? Pois saiba que essa cena foi gravada no mar da Tailândia, debaixo de um sol de 44 graus!

Nos intervalos, alguns dos atores ficaram sem camisa e as mulheres de sutiã, cobertos por guarda-sol e sendo abanados pela equipe. "A gente queria morrer de tanto calor", disse Úrsula Corberó, que interpreta Tóquio. "Eu parecia um caranguejo. Vermelho, suando, meio morto e com taquicardia", revelou Miguel Herrán, que dá vida a Rio.