Ameaçado de morte, Rodrigo Branco diz que não é racista: "Só não gosto"

Empresário revoltou a web com comentários racistas sobre Thelma Assis e Maju Coutinho

por Miriam Kaibara 03 abr, 2020 15:02Tags
Recomendado para você: Ameaçado de morte, Rodrigo Branco diz que não é racista: "Só não gosto"

Rodrigo Branco, que fez comentários racistas sobre Thelma Assis e Maju Coutinho, se pronunciou em entrevista após deixar a web revoltada. Em conversa com a Veja, Rodrigo disse que recebeu ameaças de morte e afirmou não ser racista.

Durante live com a influencer Ju de Paulla na última segunda-feira, 30, o empresário ficou chocado ao saber que a amiga torcia por Thelma, no BBB20. "Não, gente, a Thelma nem pensar. Posso falar uma coisa? Torcer pela Thelma é racismo", disse ele, a chamando de "negra coitada".

Em seguida, ele falou sobre Maju. "Por exemplo, é a mesma coisa que eu falo da Maju Coutinho. Ela é péssima, ela é horrível. Ela fala tudo errado, eu assisti hoje, ela só tá lá por causa da cor".

"Não sou racista. O que quis dizer é que o fato de ser negro não pode encurtar caminhos. Ser branco também não deveria encurtar. Há pessoas competentes em todos os lados", disse ele à Veja. 

leia também
Larissa Manoela comenta fala racista de Rodrigo Branco: "Indignada"

"Não gosto da Thelma, do BBB, como jogadora. Não é por ser negra. Só não gosto. O mesmo se aplica à Maju. Sei que é uma pessoa maravilhosa, mas não gosto dela como apresentadora. Fui infeliz na forma de dizer e agora tenho de assumir as consequências", afirmou.

Após seus comentários, ele disse que recebeu ameaças de morte. "Desabilitei minhas redes sociais em virtude dos ataques de ódio, que não ajudam neste momento. Estou aproveitando esse tempo para refletir. O primeiro passo é assu­mir meu erro: errei, peço perdão por ter exposto pessoas que não fizeram nada contra mim, como a Maju e a Thelma. Pedi desculpas à Ju de Paulla. Só não aceito o ódio. Saí das redes sociais porque usaram fotos minhas com a minha filha, dizendo que temos de morrer".

Ao ser questionado se perdeu algum contrato de trabalho, ele revelou: "Não, todos os meus contratos com as empresas americanas e brasileiras são de longo prazo".