Em tempos de Coronavirus, todos querem dar a sua opinião, inclusive nas redes sociais. Com Marcos Mion não foi diferente; tanto que ele até se envolveu em um verdadeiro embate com Roberto Justus.

De acordo com a Folha de S. Paulo, Mion compartilhou, em grupo do qual Justus faz parte, um vídeo em que um biólogo diz que o Brasil pode chegar a um milhão de mortes por causa do COVID-19. 

Em áudio ao qual o jornal teve acesso, Justus diz ser "absolutamente contra" e que o registro trata-se de uma "histeria totalmente desproporcional" e "uma desinformação de um nível tão grande, que não dá nem pra discutir".

"Com todo respeito, que te acho um cara inteligente. Quando alguém solta um argumento desse aí, acabou né. Um milhão de mortos no Brasil? O total de mortos no mundo até agora foi de 12 mil. 12 mil pessoas morreram do coronavírus até agora. Isso é absolutamente nada. [Há] 220 mil infectados. E o Brasil é tão abençoado por Deus, que aqui vai matar um milhão", disse ele. 

"Sem querer te ofender, pelo amor de Deus, respeito os seus pensamentos. Mas você está totalmente errado. Quem entende um pouco de estatística, que parece que não é o seu caso, vai perceber que é irrisório".

Justus afirma ainda que, de fato, é necessário tomar medidas de segurança como o isolamento das pessoas idosas e evitar as aglomerações humanas, embora isso "vá custar muito caro".

Mesmo assim, ele, de 64 anos, afirma que o coronavírus é uma "gripezinha leve" e que "só mata velhinhos".

"Você está preocupado com os pobres? Você vai ver a vida devastada da humanidade, na hora do colapso econômico, da recessão mundial, dos pobres não terem o que comer, das empresas fecharem, do desemprego em massa".

"[O vírus] não vai matar ninguém na favela. Vai matar velhinho e gente já doente. [...] Os pobres não são todos doentes, não. Na favela não vai acontecer porra nenhuma se entrar o vírus, muito pelo contrário [sic]. Essa molecada que está na favela... Criança, então, de 0 a 10 anos, nenhum caso. E as crianças nem pegam a doença. Então isso não é grave. Grave é o que vai acontecer com o mundo agora, uma recessão global como nunca vista na história, nem no ‘crash de 29' e nem nada", acrescenta o apresentador de O Aprendiz.

A assessoria de Mion informou ao veículo que o áudio de Justus tratava-se de "uma parte de uma conversa de um grupo de amigos e se referia a um vídeo, não do Mion, mas de um pesquisador, o biólogo, especializado em virologia, Átila Iamarino".

"O vídeo, colocado no grupo pelo Mion, traz prospecções de diferentes cenários para diferentes variáveis. Não se tratava de uma única afirmação determinista. Os integrantes do grupo discutiam livremente em cima das possibilidades colocadas pelo especialista, assim como discutem várias outras prospecções e cenários".

Justus e Mion têm seguido as recomendações da Organização Mundial de Saúde e ficado em casa com seus familiares. #FiqueEmCasa

Nas redes sociais, como no Twitter, os internautas criticaram as falas de Justus. Veja algumas reações:

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.