Taylor Swift abriu o seu coração no novo documentário da Netflix.

No Taylor Swift: Miss Americana, que foi lançado durante o Festival de Filmes de Sundance 2020, a cantora de Lover revelou que lutou contra distúrbios alimentares no passado. Ao falar sobre como o assédio dos paparazzi mudaram a relação que ela tinha com seu corpo e com a comida, ela admitiu que já chegou a ficar "faminta" por evitar comer.

"Não é bom ver fotos minhas todos os dias", afirmou ela. "Aconteceu comigo algumas vezes e eu não me orgulho disso. Eu via uma foto minha na qual minha barriga parecia estar um pouco maior, ou alguém comentava que eu podia estar grávida... e isso fazia com que eu me fizesse passar fome - e parasse de comer".

Antes da première do filme, Swift conversou com a revista Variety e relembrou a história de um veículo que disse que ela estava grávida aos 18 anos por causa da roupa que ela usou.

"Eu me lembro como, aos 18 anos, essa foi a primeira vez que eu estrelei a capa de uma revista", disse ela. "E a manchete era: 'Grávida aos 18?'. Tudo isso por causa de uma roupa que não valorizava a minha barriga. Então eu registrei isso como uma punição".

"Depois, eu entrei em um ensaio e alguém da revista me disse: 'É incrível que você fica bem com os tamanhos originais. Normalmente nós temos que mudar os vestidos, mas com você podemos pegar direto do desfile e já vesti-la!'", continuou a cantora. "E eu vi isso como um elogio. Você registra isso assim algumas vezes e você começa a se acomodar com esse sistema de elogios e punições com o seu corpo".

A ideia de ser punida e elogiada também fez com que Swift mudasse a forma como ela vê comida. Ela adicionou: "E minha relação com comida foi exatamente pelo mesmo caminho: se eu ganhava um elogio, eu achava que era bom. Se era criticada, achava que era ruim".

Ainda ao falar sobre o tópico de distúrbios alimentares, Swift também discutiu como é desafiador você falar sobre as batalhas que teve com o seu próprio corpo. Ela afirmou que no começo estava na dúvida se deveria dividir isso com o mundo.

"Eu não sabia se me sentiria confortável ao falar sobre imagem corporal e as coisas que eu passei e se isso seria saudável para mim - minha relação com comida e tudo o mais", ela explicou. "Mas do jeito que [a diretora] Lana [Wilson] conta a história, faz bastante sentido. Eu não sou a mais articulada ao falar sobre o assunto porque tem pessoas que falariam sobre isso de um jeito bem melhor. Mas tudo o que eu conheço é a minha experiência".

"Eu acho que eu nunca realmente quis falar sobre isso antes e eu me sinto desconfortável de falar sobre isso agora também", ela continuou. "Mas no contexto de tudo o que eu estava fazendo em minha vida, fez sentido ter isso no filme".

Taylor Swift: Miss Americana será lançado na Netflix no dia 31 de janeiro.

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.