Bolsonaro acusa Leonardo DiCaprio de financiar queimadas na Amazônia

A organização do ator e ambientalista anunciou doação de US$ 5 milhões para ajudar a salvar a floresta tropical

por Corinne Heller | Traduzido Por Miriam Kaibara | 30 nov, 2019 17:18Tags

Jair Bolsonaro, que teve as finanças de sua família questionadas por Bruna Marquezine, repercutiu mundialmente após fazer acusação contra Leonardo DiCaprio. Segundo Bolsonaro, Leonardo estaria financiando as queimadas na Amazônia.

O governante acrescentou que o World Wildlife Fund (WWF) pagou por imagens tiradas por bombeiros voluntários e as usou para solicitar doações, incluindo uma contribuição de US$ 500 mil feita por DiCaprio. A alegação foi negada pelo astro e pela WWF. 

"Quando eu falei que há suspeitas de ONGs, o que a imprensa fez comigo? Agora, o Leonardo DiCaprio é um cara legal, não é? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia", disse ele nessa sexta-feira, 29, na saída do palácio da Alvorada.

leia também
Bruna Marquezine bate de frente e questiona finanças da família Bolsonaro

Durante live no Facebook nessa quinta-feira, 28, o presidente fez referência ao ator. "O pessoal da ONG, o que eles fizeram? O que é mais fácil? Botar fogo no mato. Tira foto, filma, a ONG faz campanha contra o Brasil, entra em contato com o Leonardo DiCaprio, e o Leonardo DiCaprio doa 500 mil dólares para essa ONG. Uma parte foi para o pessoal que estava tocando fogo, tá certo? Leonardo DiCaprio tá colaborando aí com a queimada na Amazônia, assim não dá."

O ator, cuja organização prometeu fundos para salvar a Amazônia, negou a alegação de Bolsonaro em post no Instagram neste sábado, 30.

"Neste momento de crise na Amazônia, apoio o povo do Brasil que trabalha para salvar sua herança natural e cultural. Eles são um exemplo incrível, comovente e humilde de compromisso e paixão necessários para salvar o meio ambiente. O futuro desses ecossistemas insubstituíveis está em jogo e tenho orgulho de apoiar os grupos que os protegem. Embora dignos de apoio, não financiamos as organizações visadas".

"Continuo comprometido em apoiar as comunidades indígenas brasileiras, governos locais, cientistas, educadores e público em geral que estão trabalhando incansavelmente para garantir a Amazônia para o futuro de todos os brasileiros", acrescentou.