Kim Kardashian salvou outra pessoa da punição carcerária. Depois de conseguir clemência à bisavó Alice Marie Johnson, Kim livrou Rodney Reed do corredor da morte no final de semana.

Rodney Reed, de 51 anos, seria executado na última quarta-feira, 13, por estupro e estrangulamento de Stacey Stiles, que tinha 19 anos na época do crime, 1996. E na sexta-feira, 15, o Conselho de Perdões do Texas recomendou que o governo conceda uma indenização de 120 dias para ele, já que os advogados do Projeto Inocência disse que há evidências que exoneram Reed do caso.

Um tribunal vai analisar o caso dele novamente. Reed conta com o apoio de inúmeros legisladores e celebridades, como Kim, que estuda para ser advogada e recentemente mostrou seu apoio a ele no Twitter.

No final de semana, a estrela de Keeping Up With the Kardashian escreveu no Instagram que conheceu Reed pessoalmente naquele dia e estava presente quando ele recebeu a notícia sobre o adiamento da execução.

"Foi emocionante", disse ela ao programa Today, da NBC, em trecho divulgado no último domingo, 17. "Foi extremamente emocionante e ele disse: ‘Louve a Jesus'".

"Palavras não podem descrever o alívio e a esperança que varreram a sala naquele momento", compartilhou a musa na rede social. "Essa esperança estava se formando nas últimas semanas em torno do caso de Rodney".

"Vimos Democratas e Republicanos se unirem", acrescentou Kim. "Vimos ativistas de base e parlamentarem vincularem armas. Ouvimos pessoas do mundo inteiro falarem. E tudo por causa de uma profunda crença de que todo homem ou mulher acusada de um crime – especialmente um punido com a morte – merece a chance de ter todas as evidências disponíveis consideradas".

Em junho, o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, concedeu clemência para Alice Johnson, de 63 anos, que foi presa em 1997 por suposto tráfico de drogas e acusações de lavagem de dinheiro; após a esposa de Kanye West ajudar no caso dela e falar com o político sobre o ocorrido.

As duas se conheceram pessoalmente depois que Johnson deixou a prisão em liberdade condicional. Elas se reuniram em outubro, fazendo uma aparição conjunta na sede do Google, na Califórnia, para falar sobre a reforma do encarceramento em massa.

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.