A Netflix apresenta mais uma novidade brasileira em seu catálogo: Irmandade. A série foi lançada no início do mês em coletiva de imprensa com o elenco e diretor Pedro Morelli, em São Paulo.

No entanto, só na madrugada desta sexta-feira, 25, Irmandade foi liberada pelo serviço de streaming. E apenas pelo elenco de peso, vale a apreciação: Seu Jorge, Naruna Costa, Lee Taylor, Pedro Wagner e Danilo Grangheia.

Ambientada na década de 90, a atração conta a história de Cristina, uma honesta advogada que descobre, após longos anos de separação, que o seu irmão Edson está liderando uma facção criminosa de dentro de um presídio.

Segundo Morelli, dois anos foram necessários para a elaboração da série. "Eu já tinha interesse sobre esse tema [facções criminosas]", revelou o diretor, que explicou o uso de uma protagonista.

"Surgiu a ideia de fazer com uma mulher e abordar esse universo através da ótica da mulher. Pra ter uma protagonista neste contexto, a gente precisava estar na era de antes do celular. Por isso a gente escolheu os anos 1990. A partir do momento que você já tem o celular, os presos se comunicam entre si e as mulheres se fazem menos necessária".

Por sua vez, Naruna se disse bastante satisfeita com seu trabalho, especialmente com Morelli. "O Pedro é um diretor que escuta e está disposto a dialogar. Isso facilitou o trabalho", explicou a atriz.

Para Seu Jorge, interpretar seu personagem foi bastante intenso e profundo.

"Eu não encontrei nada sozinho, tive um trabalho coletivo. Essa pesquisa foi feita em conjunto", mandou o artista. "Foi um trabalho intenso. Acho que todo acabamento foi dado lá no presídio. A locação, o ambiente, o objeto de cena, as coisas iam acontecendo. É um personagem de muita força".

"Senti muito forte o valor que tem a liberdade. Foi rico, não ficamos só no plano da fantasia, ficamos bem perto de uma realidade que está aí e fomos acolhidos com respeito. De todos os aprendizados que tive, esse foi um dos mais importantes", finalizou ele.

Com 280 pessoas, Irmandade, que conta com 8 episódios, foi gravada em mais de 40 locações, incluindo uma ala desativada do presídio de Curitiba.

Vale a pena a maratona!

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.