Jameela Jamil e Sara Sampaio tiveram uma discussão bem intensa por causa de um tweet da atriz. Nesse final de semana, Jameela comentou em um vídeo no qual era possível ver modelos plus size dançando na passarela. "Meu Deus, elas parecem adolescentes se divertindo, sem passar fome e sem medo", afirmou ela. "Maravilhoso".

Sampaio viu o comentário de Jamil e respondeu: "Que tal selebrar alguém sem derrubar outra pessoa?". "Falar que modelos de passarela parecem ter 'fome e medo' é extremamente ofensivo. Para alguém que sempre fala sobre aceitar o corpo, isso é muita hipocrisia".

A atriz se defendeu, explicando: "Eu não disse que todas as modelos são assim, entãõ tente se acalmar. Mas eu digo que a grande maioria das modelos está passando fome e usando drogas para alcançar um padrão que é muito pequeno. Se você não vê isso, está em uma bolha".

A atriz adicionou: "E eu sempre digo para pararmos de falar sobre corpos, para combater a cultura do distúrbio alimentar que é perpetuada pela demanda da indústria da moda por garotas muito magras".

"Você não disse todas as modelos, com certeza, mas ainda assim você escolhe atacar algumas garotas para celebrar outras", afirmou Sampaio. "Distúrbios alimentares e drogas não são problemas exclusivos de modelos, é um problema enorme da sociedade em um geral. E você fala que a maioria das modelos tem distúrbios alimentares e problemas com drogas, quando esse não é o caso. E sobre modelar, eu posso falar com mais propriedade do que você. Isso acontece muito, mas não é a grande maioria. O objetivo do meu tweet não foi esse! Você sabe! É simples celebrar alguém sem precisar derrubar outras pessoas. E você generalizou negativamente um grupo de pessoas - a maioria dessas adolescentes! Elas não merecem ser vistas dessa forma negativa".

Ela adicionou: "Eu sei como fato que apesar de algumas meninas se drogarem, a maioria não faz isso!".

Quando um internauta tentou esclarecer que Jamil estava falando sobre os padrões da indústria e não das modelos em si, Sampaio respondeu: "Eu só disse que ela não precisa derrubar pessoas para levantar outras! Meu ponto é que ela sentiu a necessidade de usar palavras depreciativas para descrever as modelos de passarela que ela não gosta para elogiar as que ela gosta. Isso é desnecessário... Eu vejo as pessoas fazendo isso toda hora. Não é assim que deve ser".

A modelo também não gostou do comentário da "bolha", rebatendo: "Você não me conhece para dizer que eu vivo em uma bolha! Vamos começar daí. Eu também sei mais dessa indústria do que você. E eu sei o quão ruim é essa generalização para as meninas que são saudáveis e naturalmente magras a vida toda".

Porém, o debate continuou. "Eu já fui modelo e uma assessora de modelos, e muitos dos meus amigos ainda estão nessa profissão. Todos estrão lutando contra os padrões da indústria que você se beneficia, o que é o motivo para você defender ela tanto assim. Me pedir para não falar sobre os problemas é errado", disse Jamil. "Sara, com respeito. Eu não acho que você deveria insisitir nisso. A indústria [da moda] é diferente de todas as outras. Ela trabalha com crianças, gera cultura e é um padrão para muitos jovens do mundo todo. É uma indústria perigosa para muitas pessoas".

Sampaio adicionou: "Assim como toda a indústria do entretenimento. E ainda assim a gente não sai por aí dizendo que todos os atores/cantores/etc usam drogas, né? O ponto do meu tuíte nunca foi esse! Eu não achei que era necessário usar aquelas palavras depreciativas se você estava celebrando algo tão incrível... Eu já vi muitas vezes as pessoas sentindo a necessidade de atacar modelos como se a gente fosse a praga desse mundo. Eu só acho que podemos celebrar todo mundo!".

Jameela Jamil, Elle Women in Hollywood

Matt Baron/Shutterstock

A atriz notou que ela também fala sobre os problemas da indústria do entretenimento. "Metade da minha carreira foi em cima disso, lutar contra a cultura do distúrbio alimentar que é promovido para as mulheres. Talvez você não conheça o meu trabalho", tuitou Jamil. "Sua amada indústria é altamente tóxica e você está do lado errado aqui".

Porém, Sampaio insistiu: "Com todo o respeito, agora parece que eu to falando de maçãs e você de peras! Eu acho que ficou bem claro o que eu quis dizer".

"Eu acho que você está usando a sua plataforma para defender algo que é muito negativo para as garotas", Jamil comentou. "Essa é a única coisa que está claro para mim. Ache uma causa melhor para lutar, porque não é essa. Você pode fazer mais que isso, você é inteligente. Ajude garotas, não normalize isso".

No fim, elas não chegaram em um acordo. "Como dizer para você não derrubar outras pessoas é negativo para as garotas? Porque esse foi o objetivo do meu tweet! Ponto", Sampaio continuou. "Eu nunca disse que não há um problema com a indústria, então não coloque palavras em minha boca! Seja melhor que isso!".

"Não critique a forma como eu celebro algo ou falo que algo é problemático", Jamil respondeu. "Eu estava celebrando uma mudança boa, comparada com o padrão fashion. Eu sou ativista. Minhas palavras não são fofas, fáceis, ou não ofensivas. A mudança não acontece se você é educada".

E a troca de mensagens não terminou aí. "Meu ponto é que ela achou necessário usar palavras depreciativas contra as modelos que ela não gosta para celebrar as modelos que ela gosta. Isso é desnecessário. Eu já vi pessoas fazendo isso e esse não é o caminho certo".

"'Com fome' e 'assustadas' não são palavras depreciativas, Sara. Se acalme. E mencionar que muitas delas estão usando drogas para manter o peso é um fato, não uma alfinetada... Estamos tendo uma epidemia de distúrbios alimentares no mundo", escreveu ela. "Há um problema aqui".

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.