Jennifer Aniston relembra como foi reunião com Harvey Weinstein

A atriz afirmou que ele queria forçar ela a usar um vestido da marca da esposa dele.

por Elyse Dupre | Traduzido Por Guilherme Della Negra | 09 out, 2019 14:36Tags
Recomendado para você: Jennifer Aniston relembra como foi reunião com Harvey Weinstein

Em sua nova série, The Morning Show, Jennifer Aniston interpreta uma âncora de TV que tem sua vida virada de cabeça para baixo após o seu colega (Steve Carell) ser demitido por causa de acusações de assédio sexual.

De acordo com a revista Variety, a série foca na competitividade do mundo dos jornais televisivos que são transmitidos durante o dia, porém, tudo mudou após o repórter Matt Lauer ser demitido do programa Today (também por causa de acusações de assédio). Ainda assim, Aniston afirmou que o personagem de Carell "não é inspirado no jornalista".

"A série foi aprovada. Nós vendemos ela para a Apple. Então, após quatro meses, a merda acertou o ventilador e, basicamente, tivemos que começar tudo de novo", disse ela para a publicação sobre ter gravado a série antes do movimento #MeToo.

Porém, Lauer não foi o único que estampou os jornais esse ano. Dois meses antes da demissão dele, o jornal The New York Times publicou um artigo detalhando várias acusações de assédio sexual contra Harvey Weinstein. O produtor de filmes enfrentou mais acusações com o tempo, incluindo algumas de estupro. Ele negou todas elas.

leia também
Morre cachorra de Jennifer Aniston e Justin Theroux

Aniston trabalhou com Weinstein no longa Fora de Rumo, de 2005. Quando ela foi questionada se encontrou o produtor, ela afirmou que "teve que fazer isso".

"Houve o jantar da première. Eu lembro que estava sentada em uma mesa com Clive [Owen], nossos produtores e um amigo meu", disse ela. "Então ele literalmente chegou na mesa e disse para meu amigo: 'Levante!'. Eu pensei: 'Meu Deus'. Então meu amigo se levantou e ele se sentou. Foi um nível nojento de egocentrismo e um comportamento bem desprezível".

Ela também acusou o produtor de exigir que ela usasse Marchesa - a marca de roupas da ex-esposa dele, Georgina Chapman.

"Eu me lembro de quando a marca de Georgina, Marchesa, estava começando. Foi na época que ele me visitou em Londres durante as gravações", disse Aniston. "Ele disse: 'Ok, eu quero que você use um desses para a première'. Eu olhei as opções e, na época, a marca não era o que é hoje. Não era para mim. Ele disse: 'Você vai usar'. Eu respondi: 'Não, eu não vou'".

No fim, Aniston não usou a roupa.

"Bom, o que ele iria fazer?", disse ela quando foi questionada sobre qual foi a reação dele. "Me vestir?".

Peggy Sirota for <i>Variety</i>

E apesar de Aniston dizer que o movimento #MeToo mudou Hollywood com "toda certeza", ela também afirmou que ainda há um longo caminho a percorrer.

"Eu acho que ainda há espaço para melhoras, mas eu acho que esse tipo de comportamento acabou", disse ela. "Eu acho que as pessoas ficaram com muito medo".

"Tudo isso também é um grande pêndulo. Todo mundo está começando um novo capítulo e quer saber quais são as novas regras. Mas o que é maravilhoso sobre a série que fizemos é que ela fala sobre esses assuntos de forma bem direta. Mostramos todos os lados. Mostramos como as coisas se desenrolaram durante o movimento Me Too, algo que ninguém teve a coragem de fazer".

fotos
O cabelo de Jennifer Aniston ao longo dos anos