A cantora Jordan Pruitt é mais uma famosa que decidiu se pronunciar sobre caso de abuso sexual. Jordan, que é ex-estrela da Disney, alega ter sido molestada por seu ex-empresário Keith Thomas e está processando não somente ele como a gravadora Hollywood Records e sua companhia matriz Walt Disney Co

A jovem entrou com uma ação judicial em sete acusações, incluindo acusação sexual de menor de idade, inflexão intencional de angústia emocional, negligência, supervisão negligente, retenção/contratação negligente, falta negligente de advertir, treinar ou educar e violação de dever fiduciário.

Além disso, Pruitt alegou que a Hollywood Records e a Walt Disney Co. falharam em impedir o abuso, que ela alega ter começado quando tinha 14 anos e que continuou até uma semana antes de completar 16 anos.

Pruitt também afirma que a gravadora a obrigou a trabalhar com Thomas, e às vezes eles estavam juntos sem supervisão. Ele também atuou como seu mentor e produtor, de acordo com o processo.

"Há três semanas, como 'a fulana', eu movi uma ação contra meu molestador e aqueles que o permitiram", compartilhou a estrela de 28 anos no Instagram e no Twitter. "Chega de ser a fulana. Eu sou Jordan Pruitt. Entre no Bio para ler minha história".

Falando à Variety sobre a denúncia, Pruitt revelou que "grandes empresas estão preocupadas principalmente com vendas, dinheiro e gráficos".

"Muitas vezes eles não conseguem proteger os jovens talentos e na verdade deveriam ser seus guardiões", disse ela. "Várias e muitas vezes vemos pessoas em posições de poder falharem. Eu não poderia estar mais desapontada com a maneira como a Disney trata seus talentos menores de idade como um negócio".

Apesar do movimento #MeToo, a cantora e compositora também compartilhou que muitos na indústria da música country (a área em que ela trabalha agora) ainda têm medo de apresentar suas histórias, e é por isso que ela está "se levantando e falando" sobre seu suposto abuso.

"Estou de pé e falando não apenas por mim, mas pelas inúmeras vítimas em todo o mundo que nunca tiveram a oportunidade de justiça", disse ela. "É extremamente tabu para alguém falar sobre abuso sexual, má conduta e exploração de menores no sul normalmente conservador e gentil".

Ela continuou: "Além do decoro, muitos temem as repercussões de avançar, por exemplo (entrar na lista negra da indústria, perder trabalho, ter sua reputação manchada). Para muitas vítimas, avançar parece vergonhoso. Mesmo que o movimento #metoo tenha sido muito poderoso para muitos, ainda há muito trabalho a ser feito. Ninguém deve ser punido por dizer a verdade e buscar justiça, ponto final".

No processo, Pruitt alegou que Thomas a preparou para o abuso, isolando-a e controlando com quem ela poderia falar, além de controlar sua carreira profissional e abusar verbalmente dela com comentários negativos sobre sua aparência, inteligência e talento. Ela também alega que ele cuidou de sua mãe, fazendo com que ela ganhasse sua confiança e o deixasse ficar com ela sozinho.

Pruitt assinou com sua antiga gravadora em 2005, quando tinha 14 anos de idade. Durante esse tempo, ela lançou dois álbuns em 2007 e 2008.

  • Share
  • Tweet

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.