Luana Piovani, que completou 43 anos nesta semana, abriu o jogo sobre a sua vida pessoal e profissional. Luana é a capa da nova edição da revista Quem e abordou diversos assuntos, como a separação, os filhos, a mudança de país, o novo relacionamento e, claro, o Luana é De Lua, do Canal E!.

Atualmente, a musa mora em Cascais, litoral de Portugal, e apresenta o Like Me, na TVi, ao lado de Ruben Rua, a quem chama de "colírio". Com tantos elogios, os fãs acabaram shippando os dois, mas para a loira, eles são "muito amigos".

"Não é a primeira vez que trabalho com uma pessoa bonita e interessante. E tem uma coisa engraçada, que é mais cultural. As pessoas ficam querendo arrumar alguém pra outra, principalmente porque do outro lado, ele [Pedro Scooby] já tem alguém. A mulher fica nesse lugar vitimizado, de quem ficou com os filhos. As pessoas ficam querendo ‘ajeitar a sua vida'. Eu e Ruben sempre tivemos uma cumplicidade e intimidade muito grande. Somos muito amigos, o namoro dele é recente e eu sei de tudo. Ele também sabe de tudo do meu novo namoro".

Luana comentou que "se encontrou" como apresentadora, especialmente com um programa dentro do Canal E!.

"Me achei demais e me achei dentro da empresa E!, porque é um lugar onde as mentes são mais abertas. Existe um lugar difícil relacionado a quem manda e quem é subalterno no Brasil, que as pessoas não tem controle. Só vou conseguir trabalhar sabendo que todas as pessoas ao meu redor estão felizes, tendo condições justas de trabalho, que ninguém trata mal ninguém".

"Continuo achando que é muito bom dividir experiências", disse ela, sobre os aprendizados durante as gravações. "Quando a gente divide, multiplica. Mas tem que ser pelo viés da verdade. Eu vivi situações reais dentro de cada assunto, sem glamourizar. Acho que esse é o trunfo, o assunto tem mais relevância, as pessoas acreditam mais".

A estrela não escondeu a sua atual relação com o ex-marido, Pedro Scooby, dizendo que "a gente já se entendeu mais", e comentou a dor da separação.

"O que é muito triste é lidar com a frustração de toda aquela expectativa. Ninguém casa pra separar. A gente falava de morrer velhos e juntos. E é uma frustração enorme, não só do sonho não realizado, mas sentir que daquela relação, que era de muito amor, de amor ficou pouco. Não se tem empatia. Acho que é isso que dói", explicou ela, que ainda falou sobre tentarem colocá-la contra Anitta, com quem o surfista começou a namorar após a separação, mas que já está dando um tempo no relacionamento.

"Não acho que tem a ver nada com colocar uma contra a outra. Acho que, uma vez que a coisa é pública, as pessoas se posicionam a favor ou contra. É como a política. O que eu acho é que a empatia está escassa, o olhar amoroso está escasso. Acho que esse é o grande problema. Se relacionar é um ato de amor e daí é como se fechasse a torneira, sabe? E eu não entendo isso".

"Quando você casa, casa com os amigos, a família. É um combo. É uma experiência toda nova. Do mesmo jeito que eu nunca tinha casado, eu nunca tinha separado. É tudo muito novo. Mas eu confesso que eu imaginei uma coisa muito diferente do que eu estou vivendo".

Luana Piovani

Leo Franco/Agnews

Luana ainda falou da exposição nas redes sociais, como o fato de ter falado que o surfista não a atendia durante a viagem dele com os filhos, Dom, Bem e Liz, para a Califórnia, nos Estados Unidos.

"Acho que o limite é de cada pessoa. Tem gente que acho que exponho minha privacidade. Mas acho que a minha privacidade ninguém sonha qual é. Minha cartilha é diferente da sua. O que penso é que nenhuma dor tem que ser vivida sozinha. Quando a gente divide, ameniza e é importante as pessoas saberem que isso acontece. E aí, isso vira uma voz. Ué, me expus a minha vida inteira, agora que chegou minha vez vou fazer a boazinha? A minha consciência é falar o que eu acho que precisa ser dito".

Por fim, a estrela não poupou elogios ao novo namorado, Ofek Malka, e contou como aconteceu o relacionamento.

"É tudo tão novo. O que posso te dizer é que, às vezes, Deus manda um anjo pra te dar colo e você nem pediu. Nunca estava esperando. O conheci em Ibiza, um lugar onde a diversão é número um, são essas coisas que a gente não explica. Você se sente bem, a pessoa se sente bem e quando se separa dá vontade de se ver em uma hora. Fui vendo a iniciativa, atitude e coragem que ele tem aos 23 anos. Deu três semanas e ele não queria parar de falar comigo e disse que estava vindo me ver. E veio! Foi maravilhoso, porque a gente conviveu demais".

  • Share
  • Tweet

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.