Coisa Mais Linda, Netflix

Alexandre Schneider e Mauricio Santana / Netflix

Mais uma série brasileira pra lá de promissora teve a sua estreia na Netflix: Coisa Mais Linda. Com um elenco de peso, a atração, que chega ao serviço de streaming nesta sexta-feira, 22, tem tudo para ter êxito no mundo.

Ambientada no Rio de Janeiro, em 1959, a série mostra a jornada de 4 mulheres, que, juntas, unem a força feminina em um momento completamente masculino da história brasileira.

Apesar disso, a música, mais precisamente a Bossa Nova, é o que conecta as belas, sendo a verdadeira protagonista da trama. Durante a coletiva de imprensa, em São Paulo, o elenco falou um pouco sobre Coisa Mais Linda.

Maria Luiza "é uma jovem mulher, filha única, de família rica paulistana", explica a sua intérprete, Maria Casadevall. "É muito inserida em sua realidade de classe, reproduz todos os valores e comportamentos da sua classe".

Há também a guerreira personagem Adélia. "[Ela] me remete muito à minha avó: mulher negra, sem muitas opções. Ela é uma mãe sozinha, que está ali na batalha para colocar o prato de comida todo dia em casa. Acho que estão todas em bolhas e o que é libertador são esses encontros", contou Pathy Dejesus.

Já para Fernanda Vasconcellos, que dá vida à Lígia, os "sonhos [de cada uma] se esbarram, às vezes, no moralismo ou na estrutura familiar. Ela batalha pelo seu direito de expressar e existir na sutileza dela".

Mel Lisboa concretiza o quarteto feminino e poderoso da série, na pele da jovem e independente Thereza. "A curva dramática dela é diferente das três, porque ela já vem com a consciência do papel da mulher e como ela pode mudar perante uma sociedade cujo protagonismo é masculino".

Feminismo em Pauta

A força feminina se vê muito presente nos capítulos da primeira temporada e, entre as atrizes, ela está mais frequente que nunca.

"Coisa mais linda para mim é que todas as mulheres do mundo, sobretudo desse país – pois a gente conhece as estatísticas –, tenham a sua dignidade humana respeitada, assim como a integridade física de seus corpos e que esses corpos possam fazer escolhas. Coisa mais linda ainda, eu acho que é se cada uma dessas mulheres tivesse a chance de se sentir representada pelas vozes de outras mulheres e que essas outras vozes ganhassem cada vez mais espaço dentro da nossa sociedade", explica Casadevall.

Além disso, o elenco repercute o fato de nem tudo ter mudado daquela época para os dias de hoje. "As pessoas têm uma facilidade de se reconhecer porque não é contemporâneo e, aos poucos, elas vão reconhecendo que as diferenças não são tão grandes quanto elas imaginavam", acrescenta a atriz.

"Não só ainda temos muitas coisas que acontecem hoje, mas também o que já conquistamos", diz Lisboa. "Nós somos quatro mulheres contando essa história, então, ser mulher nesse momento e poder contar isso é realmente algo que faz a diferença", completa Casadevall.

Coisa Mais Linda ainda conta com Ícaro Silva e Leandro Lima. Alguém dúvida que será um sucesso? Não perca!

We and our partners use cookies on this site to improve our service, perform analytics, personalize advertising, measure advertising performance, and remember website preferences. By using the site, you consent to these cookies. For more information on cookies including how to manage your consent visit our Cookie Policy.