Momo reaparece em vídeos do Youtube Kids e ensina crianças a se suicidar

Saiba mais sobre a polêmica que está rolando!
por Guilherme Della Negra 18 mar, 2019 21:06Tags
Momo challengeInstagram

O Desafio da Momo aterrorizou vários jovens no ano passado e agora parece que a personagem está de volta! Ela está aparecendo em alguns vídeos do Youtube Kids e ensinando crianças a se suicidar. Que horror!

Para quem não sabe, a personagem (que tem como símbolo o rosto de uma escultura japonesa chamada A Mulher Pássaro) apareceu pela primeira vez quando criaram o Desafio da Momo. Nele, vários jovens eram coagidos através de mensagens mandadas por um perfil no WhatsApp a fazer tarefas perigosas - que incluem ataques violentos e suicídio - com a ameaça de que se eles não seguissem os passos, ela os pegaria durante a noite.

Porém, agora ela está aparecendo no meio de alguns vídeos do Youtube Kids, espaço do site Youtube que é direcionado para o público infantil, mostrando um passo a passo de como as crianças podem se suicidar. A notícia chocou ainda mais pelo fato do Youtube Kids teoricamente ser livre de conteúdo impróprio, ou seja: parece que descobriram como burlar isso.

leia também
Por que precisamos falar sobre o jogo da “baleia azul”

O fato repercutiu internacionalmente e deixou muitos pais preocupados, incluindo famosos. Nas redes sociais, a própria Kim Kardashian publicou uma captura de tela de uma matéria que falava sobre o assunto e pediu satisfações à rede social. "Youtube, nos ajude!", disse ela.

Como resposta, o Youtube publicou um comunicado garantindo que todos os vídeos com a personagem foram deletados, mas por enquanto ainda não se sabe quem foi o responsável por fazer upload.

"Muitos de vocês compartilharam suas preocupações conosco nos últimos dias sobre o Desafio Momo - prestamos muita atenção nisso. Depois de muita análise, não vimos nenhuma evidência recente de vídeos promovendo o Desafio Momo no YouTube. Vídeos incentivando desafios prejudiciais e perigosos são claramente contra nossas políticas".

Enquanto o caso não é resolvido, vale ter atenção redobrada no que os filhos estão assistindo online!